Notícias

Compartilhar Imprimir

Política no Amazonas

07/06/2019

Álvaro Campelo acompanha Comitiva de Direitos Humanos no Compaj

Compartilhar:

Foto: Divulgação

Uma comitiva formada pelos membros da Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (Aleam), deputados estaduais, Álvaro Campelo e Dermilson Chagas (Progressistas) e pelos deputados federais José Ricardo (PT/AM), Hélder Salomão (PT/ES), da Comissão de Direitos Humanos da Câmara Federal, e componentes da Ouvidoria do Departamento Penitenciário Nacional, estiveram reunidos na tarde desta quinta-feira (06), com o secretário-executivo da Seap, tenente-coronel André Luiz Gioia, no Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj), para inspecionar e avaliar a atual situação do sistema prisional no Amazonas.

 

De acordo com secretário-executivo da Seap, tenente-coronel André Luiz, algumas medidas devem ser tomadas para a melhoria do sistema. “Hoje, estamos no auxílio da gestão, mas acredito que podemos fazer muito mais, até pela própria segurança dos detentos. Por exemplo, poderia ser transferida a responsabilidade do translado desses presos para o Estado”, afirmou Gioia.

 

Veja também 

Caravana da Criança atende mais de 1.000 pessoas em Autazes

Unimed vai à Assembleia prestar esclarecimentos sobre atendimento a usuários

 

 

Segundo o vice-presidente da Comissão de Direitos Humanos da Assembleia do Amazonas (CDH/Aleam), deputado estadual Álvaro Campelo, o resultado da inspeção será transformado em um relatório técnico, que será entregue ao Departamento Penitenciário Nacional (Depen) e outras autoridades competentes, para que sejam adotadas contra as facções criminosas e o aperfeiçoamento do sistema prisional. “Nosso objetivo é contribuir com a indicação de medidas efetivas que evitem um novo massacre e melhorem a atual política prisional do Estado", disse Campelo.

 

Mortes em presídios

 

Fotos: Divulgação

 

No dia 26 de maio, 15 presos do Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj), em Manaus, foram mortos no interior do presídio. Na segunda-feira (27), outros 40 presos foram mortos na mesma unidade e em outros três estabelecimentos prisionais da capital: Instituto Penal Antônio Trindade (Ipat); Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM 1) e Unidade Prisional do Puraquequara (UPP).

 

Curtiu? Siga o PORTAL DO ZACARIAS no Facebook e no Twitter.

 

Reforço federal

 

Após o massacre, o governo federal decidiu enviar um reforço de segurança ao Amazonas, a pedido do Estado. A Força-tarefa de Intervenção Penitenciária servirá para reforçar a atuação dos agentes carcerários. O Amazonas já tem a presença da Força Nacional de Segurança, que atua no policiamento ostensivo e no entorno das penitenciárias.

Deixe seu comentário

Nome:

Mensagem:

publicidade

Copyright © 2013 - 2019. Portal do Zacarias - Todos os direitos reservados.