Notícias

Compartilhar Imprimir

S.O.S Comunidade

04/12/2018

Força-tarefa no combate ao Aedes na Zona Oeste de Manaus

Compartilhar:

Foto: Semsa. / José Nildo

Semsa e Semed mobilizam comunidades na zona Oeste para o combate ao Aedes.

Profissionais de saúde, estudantes, pais e professores da Zona Oeste de Manaus realizaram na manhã desta terça-feira, 4/12, um Dia “D” de Mobilização no Combate ao Aedes aegypti.

 

A programação aconteceu no Centro Municipal de Educação Infantil (Cmei) Elza Damasceno, no bairro Santo Antonio, que atende 232 alunos de quatro e cinco anos de idade. Houve apresentação do ciclo de reprodução do mosquito, exposição da Brigada Mirim Contra Aedes Mirim e também entrega de capas protetoras para caixas d'água.

 

Veja também

Não existe uma raça de cachorro mais 'fedorenta'; características podem contribuir para o odor do animal. CONHEÇA


 

De acordo com o chefe do setor de Controle de Endemias do Distrito de Saúde Oeste (Disa Oeste), Rubens Souza, o evento foi realizado como parte da Semana de Mobilização para Intensificar o Combate ao Aedes aegypti em Manaus, iniciada na segunda-feira, 3/12, pela Secretaria Municipal de Saúde (Semsa).

 

 

 

“O Dia D de Mobilização do Disa Oeste é uma estratégia para sensibilizar a sociedade no enfrentamento ao Aedes, que transmite dengue, zika e chikungunya. O trabalho é feito em parceria com instituições de ensino como escolas e os Cmeis, conscientizando sobre os prejuízos que as doenças podem causar na comunidade e nas famílias”, destacou Rubens Souza.

 

Curtiu? Siga o PORTAL DO ZACARIAS no Facebook e no Twitter.

 

 

As ações da Semana de Mobilização seguem até a próxima sexta-feira, 7/12, com atividades que incluem a distribuição de materiais educativos, palestras, rodas de conversa, apresentação de vídeos e orientações aos usuários sobre doenças transmitidas pelo Aedes, com o envolvimento dos Distritos de Saúde (Oeste, Leste, Norte, Sul e rural) e de 228 Unidades de Saúde.

 

 

“A Semsa está trabalhando em parceria com a Secretaria Municipal de Educação (Semed), através do Programa Saúde na Escola (PSE), que envolve 164 escolas, 120 municipais e 44 estaduais. Uma das ações pactuadas no PSE é o enfrentamento ao Aedes, que é realizado durante todo o ano nas escolas com o apoio das equipes de Estratégia Saúde da Família. Esta semana é um momento de fortalecer esse trabalho junto à comunidade para o controle do mosquito”, informou a coordenadora do PSE na Semsa, assistente social Giane Sena.

 

 

 

Além das escolas que estão vinculadas ao PSE, a intensificação das ações contra o Aedes está acontecendo nas outras escolas da rede municipal. Segundo a assessora pedagógica da gerência de Atividades Complementares e Programas Especiais da Semed, Lourdes de Araújo Souza, as escolas que ainda não estão incluídas no PSE, contam com agentes de saúde escolar e também com o Programa Municipal Saúde do Escolar, trabalhando diversas questões de saúde no decorrer do ano letivo, incluindo o combate ao Aedes.

 

 

“As ações de educação em saúde buscam o desenvolvimento integral das crianças. Com o trabalho de prevenção de doenças e promoção da saúde, a criança tem um melhor desenvolvimento no desempenho escolar, na sua atividade motora, na consciência do autocuidado, com questões do meio ambiente e de alimentação”, destacou Lourdes Souza.

 

 

Para a dona de casa Cláudia Moraes, mãe de um dos alunos do Cmei Elza Damasceno, a integração de saúde e educação é fundamental para a prevenção das doenças e na melhoria do desenvolvimento das crianças.

 

 

“As crianças aqui no Cmei recebem acompanhamento de profissionais da Unidade de Saúde, com médico, dentista, avaliação do cartão de vacina e orientação sobre nutrição. E ações como essa de combate ao Aedes são uma forma de alertar os pais, por meio das crianças, para a prevenção e para evitar surtos de doenças. Tudo isso tem sido importante para melhorar o desenvolvimento do meu filho”, afirmou Cláudia Moraes.

 

 

Risco

 

Fotos: Divulgação

 

O último Levantamento de Índice Rápido para o Aedes Aegypti (LIRAa), realizado em outubro deste ano, apontou que Manaus permanece em médio risco para doenças transmitidas por esse mosquito, com um índice de infestação de 1,1%.

 

 

A partir dos dados do levantamento e de informações sobre a ocorrência de casos das doenças transmitidas pelo Aedes, a Semsa montou um mapa de vulnerabilidade, indicando áreas prioritárias para a intensificação das ações de controle do mosquito.

 

 

Segundo o mapa, 26 bairros de Manaus são considerados de baixa vulnerabilidade e 32 de média vulnerabilidade. Seis bairros de Manaus foram considerados de alta vulnerabilidade: Colônia Terra Nova e Monte das Oliveiras, na zona Norte; São José, Tancredo Neves e Jorge Teixeira, na Zona Leste; e Japiim, na Zona Sul.

 

Deixe seu comentário

Nome:

Mensagem:

publicidade

Copyright © 2013 - 2018. Portal do Zacarias - Todos os direitos reservados.