Notícias

Compartilhar Imprimir

Plantão Policial

12/08/2017

Polícia já sabe quem são os três homens encontrados mortos no Ramal do Brasileirinho nesta sexta-feira

Compartilhar:

Foto: Divulgação

O empresário, o motorista e o colombiano foram encontrados mortos no ramal do Brasileirinho

Os três homens encontrados mortos no Ramal do Brasileirinho, Zona Leste de Manaus, na manhã desta sexta-feira, 11, já foram identificados por seus respectivos familiares quando compareceram na sede do Instituto Médico Legal (IML) para reconhecer os corpos.


As vítimas são o empresário Carlos Alberto Maia da Silva, 24, Ney Vilar de Souza, 39, que trabalhava como motorista, e finalmente, o colombiano Jhon Jairo Lopez Naranjo, 42, todos dados como desaparecidos desde a noite de quinta-feira, quando saíram juntos e não retornaram para suas casas.


A família do empresário Carlos Alberto, confirmou que ele emprestava dinheiro para receber com juros e acredita que essa atividade de “agiotagem” como é mais popularmente conhecida, pode ter motivado sua morte e das outras duas pessoas.


Clairton Maia, 30 anos, irmão mais velho do empresário assassinado, esteve na Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), onde conversou com os policiais e levantou suspeita sobre um homem que identificou como “Ceará”.


Para o irmão do empresário, este homem emprestou R$ 70 mil recentemente e durante a semana fez várias ligações marcando encontro com Carlos Alberto, dizendo que já tinha o dinheiro para pagar seu débito.

 

Carlos Alberto, Ney Vilar e Jhon Jairo no Ramal do Brasileirinho (Fotos: Divulgação)


A mulher do empresário, que não quis se identificar, confirmou que o marido chegou a mandar o motorista Ney Vilar ir ao encontro de “Ceará” para receber o donheiro, mas este disse que só entregaram tal quantia, pessoalmente para Caros Alberto.


O empresário acabou por aceitar ir ao encontro de “Ceará”, marcado para a Feira da Panair, no bairro de Educandos, Zona Sul, levando com ele Ney Vilar e o colombiano Jhon Jairo Naranjo, que também vinha tentando fazer um empréstimo com Carlos Alberto.


O que a família do empresário e dos dois outros homens mortos acreditam é que “Ceará” pode ter armado uma cilada para liquidar Carlos Alberto e como o motorista e o colombiano estavam com ele acabaram virando “queima de arquivo”.


O delegado Juan Valério conversou com familiares das vítimas e já designou a equipe que vai investigar e buscar o desvendamento completo do caso, mas prefere deixar para outro momento, os comentários sobre a suspeita apresentada pela família do empresário.
 

Comentários

justiça - 12/08/2017 às 20:30
minha vó ja dizia. Quem empresta não presta.
eddy - 14/08/2017 às 10:10
Pela lógica, o correto seria "quem pede emprestado não presta".

Deixe seu comentário

Nome:

Mensagem:

publicidade

Copyright © 2013 - 2016. Portal do Zacarias - Todos os direitos reservados.