Notícias

Internacional

Papa Francisco aceita renúncia de padre chileno acusado de abuso sexual

Compartilhar:

Foto: Sacerdote teria molestado menor de idade em 1985, mas caso veio à tona somente em 2018

O papa Francisco aceitou a renúncia de um sacerdote chileno acusado de abusar sexualmente de um menor de idade em 1985.

 

O acusado, Luis Felipe Egaña, era ex-capelão dos Carabineros, polícia militar uniformizada do Chile.


Segundo comunicado divulgado no sábado, 5, pela Diocese de Talca, onde o padre atuava, o papa aceitou o pedido de renúncia "pelo bem da Igreja", da qual Egaña foi excluído "de seu estado clerical e de suas obrigações próprias do sacerdócio".


Veja também

Israel aprova lei para exportação de maconha medicinal


Egaña encaminhou seu pedido de saída ao Vaticano logo depois da denúncia de abuso sexual vir à tona no Chile, em junho de 2018. Em agosto do mesmo ano, a investigação demonstrou que a acusação era "verossímil", mas que o crime havia prescrito.


Mesmo assim, diante da gravidade da acusação, a diocese local pediu ao Vaticano a revogação da prescrição. Desde então, o sacerdote estava suspenso das suas funções religiosas.

 

O acusado, Luis Felipe Egaña, era ex-capelão dos Carabineros,

polícia militar uniformizada do Chile (Foto: Reprodução)

 

Curtiu? Siga o PORTAL DO ZACARIAS no Facebook e no Twitter.


O caso se soma a outros escândalos de abusos sexuais cometidos por membros da Igreja chilena. Somente em 2018, o papa Francisco aceitou a renúncia de sete bispos chilenos, expulsou do sacerdócio outros dois bispos eméritos e os sacerdotes Fernando Karadima e Cristián Precht.

 

Terra

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Nome:

Email:

Mensagem:

Leia também

Copyright © 2013 - 2019. Portal do Zacarias - Todos os direitos reservados.