NOTÍCIAS
Plantão Policial
29/09/2020

Assassinato do engenheiro Flávio Rodrigues completa um ano: Alejandro Valeiko está em liberdade e apenas dois acusados estão presos

Compartilhar:
Foto: Divulgação

Engenheiro Flávio Rodrigues foi assassinado em festa realizada na mansão de Alejandro Valeiko

Nesta terça-feira, dia 29 de setembro, está completando exatamente um ano do assassinato brutal do engenheiro Flávio Rodrigues.


O homicídio aconteceu no Condomínio Passaredo, na mansão de Alejandro Valeiko, que é filho da primeira dama do município Elizabeth Valeiko e enteado do prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto.


A família do engenheiro até hoje clama por Justiça e a dor aumenta diante da incerteza se o principal acusado, Alejandro Valeiko, um dia ainda vai pagar pegar pelo crime juntamente com os outros acusados.

 

Veja também


IMAGENS FORTES! Engenheiro da Ambev que estava desaparecido é encontrado morto em terreno baldio no bairro do Tarumã. Ele teria sido assassinado dentro da casa do filho da primeira-dama de Manaus

 

Em vídeo divulgado no domingo, Arthur Neto puxa o saco de Amazonino e defende o criminiso Alejandro Valeico e sua mãe, a famosa Betinha


De todos os acusados e envolvidos direta ou indiretamente no assassinato somente dois estão presos.


O lutador de MMA Mayc Paredes aguarda julgamento no Centro de Detenção Provisória Masculino 1 (CDPM) e o sargento PM Elizeu da Paz está preso no Batalhão de Guarda da Polícia Militar.

 

Quando completa 1 ano da morte de Flávio Rodrigues o principal acusado está em liberdade


Para a família e amigos do engenheiro assassinado o mais absurdo de tudo isso, apesar das provas substanciais, Alejandro Valeiko, está solto e cumprindo apenas medidas cautelas com uso de tornozeleira eletrônica.


Alejandro, Mayc e o sargento PM Da Paz são réus no processo eserão julgados por crimes de homicídio triplamente qualificado, ocultação de cadáver e tentativa de homicídio.


A tentativa de homicídio em que os três são acusados teve como vítima Elielton Magno de Menezes Gomes Junior, ferido com uma facada na noite em que Flávio foi assassinado.


De acordo com informações obtidas pelo advogado da família de Flávio Rodrigues a ação penal está em curso regular, sem prazo para as definições de data de julgamento.

 

A suspensão do processo no que se refere as atividades presenciais no período de instrução processual, seguem suspensas pela pandemia.

 

Flávio Rodrigues foi encontrado morto com facadas e

 marcas de agressão nas matas do Taruma nesta mesma data

 

Consta no site do Tribunal de Justiça do Amazonas consta que sete pessoas foram arroladas no “Caso Flávio” e cinco acusados foram indiciados e fazem parte do grupo de réus no processo:


• Alejandro Valeiko, de 29 anos; que vai responder por homicídio triplamente qualificado, tentativa de homicídio, omissão penalmente relevante e ocultação de cadáver;


• Elizeu da Paz de Souza, 37, policial militar que estava lotado na Casa Militar da Prefeitura de Manaus e, conforme investigações, seria segurança de Alejandro; responde por homicídio triplamente qualificado, fraude processual, tentativa de homicídio e ocultação de cadáver;


• Mayc Vinicius Teixeira Parede, 37 - que confessou o crime e responde por homicídio triplamente qualificado, tentativa de homicídio e ocultação de cadáver;


• Paola Valeiko Molina, irmã de Alejandro Valeiko, tmabém filha de Elizabeth Valeiko e enteada o prefeito Arthur neto, deve responder por fraude processual.


• José Edvandro Martins de Souza Junior, 31; que responde por denúncia caluniosa;


• Elielton Magno de Menezes Gomes Junior, 22; que depois passou a ser vítima, pois foi ferido com um golpe de faca.


• Vitorio Del Gatto, cozinheiro de Alejandro e que morava na residência. Em novembro, ele teve liberdade concedida por problemas de saúde.

 

O prefeito Arthur Neto também tem participação indireta no assassinato de Flávio Rodrigues.

 

Prefeito Arthur Neto tão bem está "enrolado" no caso

"Flávio Rodrigues" e vai responder procedimento instuarado

pelo Ministério Público do Amazonas

 

Há duas semanas o Ministério Público do Amazonas (MPAM) instaurou um procedimento preparatório para apurar se houve ato de improbidade administrativa de Arthur Neto, juntamente com outros servidores da Prefeitura no caso do homicídio do engenheiro.

 

Curtiu? Siga o PORTAL DO ZACARIAS no FacebookTwitter e no Instagram. 

Entre no nosso Grupo de WhatsApp.

 

De acordo com o Ministério, o suposto ato de improbidade administrativa será apurado devido ao uso de um carro oficial da Prefeitura e a participação do policial militar Elizeu da Paz de Souza, que estava lotado na Casa Militar da Prefeitura de Manaus e na época do crime era segurança de Alejandro.
 

A família de Flávio Rodrigues promete realizar uma manifestação pública á noites desta terça-feira, no bairro Morro da Liberdade, Zona Sul de Manaus, em memória do engenheiro, nesta data que completa 1 ano de seu assassinato.
 

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Nome:

Mensagem:

LEIA MAIS

publicidade

publicidade

publicidade

publicidade

publicidade

Copyright © 2013 - 2020. Portal do Zacarias - Todos os direitos reservados.