NOTÍCIAS
Política
03/11/2019

Bolsonaro diz que pegou gravação do condomínio 'antes que fosse adulterado'

Compartilhar:
Foto: Imagem: Guilherme Mazieiro/UOL

Bolsonaro também não deixou claro em qual data pegou as gravações do condomínio

 O presidente Jair Bolsonaro (PSL) disse que pegou as gravações da portaria do seu condomínio Vivendas da Barra, no Rio de Janeiro, e falou ainda em um suposto risco de adulteração do material. Nesta semana, uma reportagem do Jornal Nacional mostrou o depoimento do porteiro que vinculou o presidente às investigações sobre o assassinato de Marielle Franco (PSOL).

 

"Agora, eu estava em Brasília, está comprovado. Várias passagens minhas pelo painel eletrônico da Câmara, com registro de presença, na quarta-feira geralmente parlamentar está aqui. Eu estava aqui, não estava lá. E outra, nós pegamos [as gravações], antes que fosse adulterado, que tentassem adulterar. Pegamos lá toda a memória da secretária eletrônica que é guardada há mais de anos. A voz não é a minha, não é do 'seo Jair'. Agora, o que que eu desconfio? Que o porteiro leu sem assinar ou induziram ele a assinar aquilo. Agora quem está por trás disso? Governador, Wilson Witzel", declarou.

 

Veja também

 

Entenda a investigação dos acessos ao condomínio do acusado de matar Marielle

 

Mourão: Investigação de vazamento de óleo pode terminar esta semana


O presidente deu as declarações durante entrevista a jornalistas, quando foi retirar uma motocicleta que comprou, em Brasília. Ele não deixou claro por quem ou por qual motivo o conteúdo seria adulterado.

 

Bolsonaro também não deixou claro em qual data pegou as gravações do condomínio.

 

Na quarta-feira (30), o filho de Bolsonaro, Carlos Bolsonaro (PSC-RJ), mostrou gravações da portaria do condomínio e não havia registros de ligações do porteiro para seu pai.

 

Curtiu? Siga o PORTAL DO ZACARIAS no FacebookTwitter e no Instagram.

Entre no nosso Grupo de WhatApp.

 

Nesta semana, o Jornal Nacional apontou que o porteiro do condomínio de Bolsonaro, em depoimento, disse que um dos suspeitos de assassinar Marielle, Élcio Queiroz, pediu autorização na casa de Jair Bolsonaro para entrar. Após a ligação, ele seguiu para casa do comparsa Ronnie Lessa.
O Ministério Público desmentiu o depoimento do porteiro.

 

UOL

 

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Nome:

Mensagem:

LEIA MAIS

publicidade

publicidade

publicidade

publicidade

publicidade

Copyright © 2013 - 2019. Portal do Zacarias - Todos os direitos reservados.