NOTÍCIAS
Plantão Policial
20/07/2021

Coronel da reserva da Polícia Militar atira contra ex-sócia e seu acompanhante no bairro da Praça 14 de Janeiro, Zona Sul de Manaus

Compartilhar:
Foto: Divulgação

Policiais da 24ª Cicom no local onde o coronel atirou na ex-sócia e seu acompanhante

A empresária Jurema Franciele Martins, 34, e seu funcionário identificado como Patrick Ferreira, 36, foram vítimas de tentativa de homicídio, por volta das 19h30 da última segunda-feira, 19, na Avenida Major Gabriel, bairro da Praça 14 de janeiro, Zona Sul de Manaus.


O coronel Coutinho, da reserva da Polícia Militar do Amazonas, que é o proprietário da Funerária Canaã e ex-sócio de Franciele Martins é acusado de atirar contra ela e seu acompanhante, após um desentendimento entre eles durante uma discussão motivada por uma briga judicial.


De acordo com informações de equipes de policiais militares da 24ª Cicom que foram ao local do ocorrido, Jurema Franciele e Patrick estavam dentro de um veículo modelo Mercedez, preto, placa FCP 4469, quando foram baleados pelo coronel na frente da Funerária Canaã.

 

Veja também 

 

IMAGENS FORTES! Motataxistas matam assaltante a pancadas, facadas e tiros na cabeça na Comunidade Jesus me Deu, Zona Norte de Manaus. VEJA VÍDEO

 

VIAGEM DO TERROR! Bandido esfaqueia passageiro e depois leva uma surra durante tentativa de assalto a ônibus da linha 014 na Zona Norte de Manaus. VEJA VÍDEOS

O funcionário baleado foi levado para o Hospital e Pronto-Socorro 28 de Agosto e a empresária e ex-sócia do coronel da reserva da Polícia Militar do Amazonas, foi internada na Clínica Santa Júlia e não há outras informações sobre os estado de saúde das duas vítimas de disparos de arma de fogo.

 

Por sua vez o funcionário do coronel da reserva, que se identificou como Lucas Saraiva de Lima, 36, disse que o patrão apenas se defendeu e agiu em legítima defesa quando a ex-sócia discutia com ele e Patrick Ferreira, que a acompanhava, teria sacado uma arma de fogo da cintura.


Pessoas ligadas à empresária Jurema Franciele informaram que ela foi procurar o dono da Funerária Canaã para comunicá-lo que a Justiça lhe deu ganho de causa em um processo e a apropriação de um veículo que está em poder do coronel teria que ser entregue a ela.


Segundo versão de pessoas ligadas à empresária o coronel se exaltou, discutiu dizendo que não entregaria o veículo e nesse momento sacou a arma de fogo e efetuou os disparos que atingiu Jurema Franciele e Patrick Ferreira, que ainda não há informação que estivesse armado no local.


O caso foi levado ao conhecimento do delegado plantonista do 1º Distrito Integrado de Polícia, Paulo César que chegou a comparecer no local da ocorrência, realizou alguns procedimentos e deve instaurar inquérito que vai apurar a acusação contra o coronel da reserva e dono da Funerária Canaã.

 

Curtiu? Siga o PORTAL DO ZACARIAS no FacebookTwitter e no Instagram. 

Entre no nosso Grupo de WhatsApp.

 

Os policiais militares não localizaram o coronel da reserva quando

chegaram para atender aocorrência na funerária

de sua propriedade (Fotos: Divulgação)

 

NOTA DE ESCLARECIMENTO SOBRE TENTATIVA DE DUPLO HOMICÍDIO EM FUNERÁRIA

 

Sobre o episódio de tentativas de homicídios em uma funerária, localizada na Avenida Major Gabriel, bairro Praça 14 de Janeiro, na zona Sul de Manaus, na noite desta segunda-feira (19), a defesa da empresária baleada, esclarece que a vítima esteve no local, por volta das 17h30, juntamente com um oficial de justiça e dois funcionários para cumprir um mandado de busca e apreensão (nº 00120210315955) sobre um veículo, modelo Nissan Pathfinder SE25, alvo de disputa judicial de divisão de bens provenientes de uma sociedade.

 

Vítima e autor mantinham sociedade em uma empresa de serviços funerários. A empresária explica que o carro pertence à ela, mas estava em posse do sócio. Após negativa dele de entregar o veículo, a vítima decidiu reaver o bem por meio da Justiça. O processo impetrado pela empresária, no dia 01 de outubro de 2018, sob o número 0645610-24.2018.8.04.0001, tramita na 15ª Vara Cível.

 

Conforme o advogado de defesa da empresária, Dr. Marcelo Amil, a empresária conta que telefonou para o autor assim que chegou à funerária e, de forma cordial, avisou sobre o cumprimento do mandado. Mesmo com a abordagem amistosa, ele se negou novamente a entregar o veículo e agiu com aspereza e grosseria.

 

"A minha cliente foi vítima de tentativa de homicídio quando ela tentou acompanhar o cumprimento de uma ordem judicial de busca e apreensão de um veículo. Uma ordem expedida legitimamente e cumprida por Oficial de Justiça. O oficial de Justiça decidiu sair do local por não se sentir seguro e informou que voltaria nesta terça-feira, com apoio policial, para cumprir a decisão judicial. A minha cliente permaneceu nas proximidades da funerária fazendo algumas ligações e verificando como seria a ação hoje.

 

Ela chegou a ser ameaça de morte pela companheira do autor dos tiros. Minutos depois, ele saiu de um carro preto e já foi atirando na direção da empresária e dos seus funcionários, numa clara tentativa de homicídio. Ele tentou matar a sócia e o funcionário dela, mas graças a Deus os ferimentos não foram fatais. Nós já iniciamos todos os procedimentos policiais e judiciais, tanto para instauração de inquérito, e vamos fazer as devidas representações ao Ministério Público e acompanhar para que ele seja levado ao Tribunal do Júri, respondendo ao duplo homicídio tentado", destacou o advogado.

 

A empresária foi baleada na coxa esquerda e um dos funcionários foi atingido no braço e no peito. As duas vítimas foram levadas por pessoas que passavam pelo local para unidades de saúde distintas e ambos não correm o risco de morte. O funcionário foi operado e segue em avaliação médica no Hospital 28 de Agosto. Já a empresária continua com a bala alojada no corpo aguardando a cirurgia para remoção do projétil.

 

A defesa esclarece que a ação seguiu todos os critérios judiciais e que, em nenhum momento, houve ataque ao autor. O caso foi registrado no 1º Distrito Integrado de Polícia (DIP), sob o Boletim de Ocorrência nº 19461/2021.

 

Na manhã desta terça-feira (20), a Juíza de Direito da 15ª Vara Cível e de Acidentes do Trabalho, Ida Maria Costa de Andrade, determinou que o caso seja acompanhado pela Central de Mandados e pela Corregedoria Geral da Justiça.

 

 

COMENTÁRIOS
DEIXE SEU COMENTÁRIO

Nome:

Mensagem:

LEIA MAIS

publicidade

publicidade

publicidade

publicidade

Copyright © 2013 - 2021. Portal do Zacarias - Todos os direitos reservados.