NOTÍCIAS
Internacional
25/06/2020

Hotéis de luxo repaginados como enfermarias de Covid-19 na Índia

Compartilhar:
Foto: Money Sharma

Hotel em Nova Délhi teve determinação da Justiça para acolher pacientes de Covid-19

Grávida de nove meses e com sintomas de Covid-19, Neelan Gautan percorreu oito hospitais em busca de atendimento, num périplo por Nova Délhi que durou 15 horas e só terminou com sua morte e a do bebê.

 

Sem leitos suficientes para lidar com o ritmo acelerado com que a pandemia vem implodindo o sistema de saúde, a capital da Índia vai transformar 25 de seus hotéis de luxo em centros de emergência para atender pacientes com sintomas do novo coronavírus.

 

A imagem de salões de festas repaginados como enfermarias reflete a gravidade da doença. O governo de Nova Délhi foi o primeiro a requisitar as instalações hoteleiras como hospitais, já prevendo que necessitará de 150 mil leitos até o fim de julho para dar conta de 500 mil infectados.


Veja também

 

Mulher acusada de tossir em bebê propositalmente é procurada pela polícia nos EUA

 

Espanha retoma normalidade com aeroportos abertos e praias cheias

 

A propagação do novo coronavírus se intensificou nos últimos dias na Índia, que, com 440 mil infectados, agora ocupa o quarto lugar em número de casos, atrás dos EUA, Brasil e Rússia, e oitavo em número absoluto de mortos.

 

O governo atribui esta subida repentina -- num só dia houve 14 mil novos registros -- ao aumento de testagens, a mesma justificativa dada pelo presidente Donald Trump nos EUA.

 

A tese, contudo, é descartada pelo chefe de emergências da Organização Mundial de Saúde, Michael Ryan: aumentos acentuados de internações e mortes não podem ser creditados à intensificação de testes. “Os números sobem porque a epidemia está se desenvolvendo em vários países populosos ao mesmo tempo”, constata.


Com 1,3 bilhão de habitantes, a Índia tem 226 casos oficiais para cada milhão de pessoas. É uma cifra modesta, levando-se em conta a superpopulação. Mas o colapso do sistema de saúde indica que a doença é subnotificada.

 

O país entrou em março numa rígida quarentena e, após 70 dias, começou a flexibilizar as restrições. Há pouco mais de dez dias, escritórios voltaram a funcionar, assim como transportes públicos. Diante do recorde no número de infectados, o primeiro-ministro Narendra Modi cogita a possibilidade de trancar novamente o país.

 

Curtiu? Siga o PORTAL DO ZACARIAS no FacebookTwitter e no Instagram. 
Entre no nosso Grupo de WhatApp.
 

Em algumas regiões, os bloqueios foram retomados. O ministro-chefe do estado de Karnataka, BS Yediyurappa, admitiu que poderá decretar lockdown na capital Bangalore. Seu antecessor, HD Kumaraswamy, dá uma medida da pressão para que a quarentena seja retomada por, pelo menos, 20 dias: “Se a cidade não for totalmente desligada, ficará como o Brasil.”

 

G1

 

 

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Nome:

Mensagem:

LEIA MAIS

publicidade

publicidade

publicidade

publicidade

publicidade

Copyright © 2013 - 2020. Portal do Zacarias - Todos os direitos reservados.