21 de Abril de 2024 - Ano 10
NOTÍCIAS
Ciência e Tecnologia
02/03/2024

Mesmo a 1,6 mil km/h, por que não sentimos a Terra girando?

Foto: Reprodução

Deitados no sofá, assistindo televisão, é difícil acreditar que estamos a bordo de um planeta que, além de viajar pelo espaço, gira em torno do seu próprio eixo a uma velocidade de cerca de 1,67 mil quilômetros por hora — aceleração que daria para ir de São Paulo ao Rio de Janeiro em pouco mais de 15 minutos. Como não sentimos essa velocidade toda?

 

Em rotações menos velozes, como a plataforma giratória de um parque de diversões, por exemplo, sentimos que estamos sendo empurrados para fora do brinquedo. Essa sensação é normalmente chamada de força centrífuga, mas, nesse caso, ela não é real.

 

O que está acontecendo é que nosso corpo quer continuar se movendo em linha reta, mas, como o equipamento gira, nosso corpo parece empurrado para o lado. Mas isso é apenas uma sensação, uma ilusão causada pela nossa inércia relativa ao brinquedo em movimento curvo. Mas, por que o mesmo não acontece com a Terra, que é bem maior e mais rápida?

 

Veja também

 

A 'cicatriz' de metal que indica que estrela 'devorou' planetas, segundo astrônomos

 

Edifício feito em 'impressora 3D' mais alto do mundo levará 900 horas para ser construído

 

POR QUE NÃO PERCEBEMOS O MOVIMENTO RELATIVO NA ROTAÇÃO DA TERRA?

 

(Fonte: Getty Images)

 

Se, no contexto da física, o movimento relativo é o único com o qual devemos nos preocupar, de acordo com Einstein, a ausência dessa sensação na rotação da Terra é meio desconcertante, mas tem uma explicação. É que, "a bordo do planeta" compartilhamos uma referência comum com os demais observadores terrestres.

 

Além disso, o movimento da Terra é suave e, embora possa ser afetado por fatores externos, a velocidade angular (ou taxa de rotação) pode ser considerada relativamente constante em escalas de tempo humanas.

 

Isso é muito importante, pois, se o movimento de rotação fosse brusco, sentiríamos com certeza a aceleração e a desaceleração. No entanto, da mesma forma que conseguimos ir ao banheiro em um voo doméstico a 900 quilômetros por hora, caminhamos tranquilamente na superfície do planeta, ainda que ele orbite o Sol a quase 107 mil quilômetros por hora.

 

O PAPEL DA GRAVIDADE NA ROTAÇÃO DO PLANETA

 

(Fonte: Getty Images)

Fotos: Reprodução

 

É importante lembrar que, quando um objeto se encontra em movimento de rotação a um ponto fixo, como é o caso da Terra em volta do seu eixo, gera uma força centrífuga, devido à tendência do próprio objeto em se mover em linha reta, em vez de curva.

 

Essa força, que teoricamente poderia nos expulsar do planeta, não o faz porque a força gravitacional que nos mantém "presos" na superfície é muito mais forte.

 

Curtiu? Siga o PORTAL DO ZACARIAS no FacebookTwitter e no Instagram.

Entre no nosso Grupo de WhatAppCanal e Telegram

 

Para o professor de física e ciências ópticas da Universidade da Carolina do Norte, nos EUA, Greg Gbur, "a aceleração da gravidade é de cerca de 9,8 m/s2 na superfície da Terra", explicou ao Live Science. Mas, no equador, onde a velocidade de rotação é máxima, essa aceleração é ligeiramente menor (0,03 m/s2) do que seria se a Terra não girasse.

 

Fonte: Mega Curioso

LEIA MAIS
DEIXE SEU COMENTÁRIO

Nome:

Mensagem:

publicidade

publicidade

publicidade

publicidade

publicidade

Acompanhe o Portal do Zacarias nas redes sociais

Copyright © 2013 - 2024. Portal do Zacarias - Todos os direitos reservados.