NOTÍCIAS
Coisas do outro mundo
21/04/2020

Nuvem de partículas invisíveis pode ter desaparecido na via láctea

Compartilhar:
Foto: Divulgação

O espaço é um ambiente que intriga cientista mundo afora e acaba gerando debates entre os astrônomos que concordam e discordam sobre alguma nova descoberta.

 

O atual debate que está aquecendo os bastidores da ciência é o possível desaparecimento de um halo brilhante que estava na Via Láctea.

 

Veja também

 

Surge buraco gigantesco na camada de ozônio no Ártico. VEJA FOTOS

 

Prefere estar sozinho? Você pode ter esses traços únicos de personalidade. VOCÊ VAI SE SURPREENDER!

Os dois lados da discussão


O que está causando rebuliço entre os astrônomos é que: quem faz parte da pesquisa defende de pé junto o sumiço da nuvem brilhante, enquanto os físicos que não participaram do estudo são extremamente céticos com a possibilidade de que a nuvem possa ter desaparecido.

 

O possível desaparecimento, na verdade, acontece pela forma como a pesquisa foi feita. Os pesquisadores da Universidade de Michigan, UC Berkeley e do Lawrence Berkeley National Laboratory, acreditam ter encontrado a forma certa de analisar os astros e, nesta análise, não apareceu nenhuma enorme nuvem brilhante que deveria estar lá.

 

Esta nuvem buscada, segundo cientistas opositores à nova pesquisa, deve ser formada pelos neutrinos estéreis, que são as partículas presentes na matéria escura. Estas partículas, com o passar do tempo, decaem em muitas outras, entre elas os prótons de raio-X. Assim, acredita-se que as partículas decaídas de neutrinos estéreis acabam formando uma nuvem brilhante em um comprimento de onda específico no espectro de raios-X.

 

A organização de uma Matéria Escura. (Fonte: Institute for the Physics and Mathematics of the Universe/Reprodução)

Foto: Reprodução

 

Desta forma, o embate é tão forte porque, caso o desaparecimento seja verídico, iria significar que a teoria defensora da existência dos neutrinos estéreis está errada.

 

Declarações de ambos os lados


Segundo os pesquisadores envolvidos no novo estudo, é natural o descontentamento e o ceticismo dos colegas astrofísicos. O coautor do estudo, Nicholas Rodd, da Universidade da Califórnia, diz que eles estão indo com uma ideia inovadora que não inclui o raio-X na busca pelos neutrinos. Rodd também comentou que, quando surge alguém como uma ideia inovadora que vai contra o que tem sido feito há anos, é normal que apareçam céticos e críticos do trabalho.

 

Curtiu? Siga o PORTAL DO ZACARIAS no FacebookTwitter e no Instagram

Entre no nosso Grupo de WhatsApp.

 

No outro lado da discussão, Kevork Azabajian acredita que o principal problema da pesquisa feita por Rodd e seus companheiros é o fato de que eles não utilizaram os métodos aceitos pela comunidade dos estudos de raios-X. E, portanto, fica extremamente difícil ser uma pesquisa aceitável ou até mesmo confiável.

 

Mega Curioso

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Nome:

Mensagem:

LEIA MAIS

publicidade

publicidade

publicidade

publicidade

publicidade

Copyright © 2013 - 2020. Portal do Zacarias - Todos os direitos reservados.