23 de Fevereiro de 2024 - Ano 10
NOTÍCIAS
Saúde
19/11/2023

O jejum é realmente necessário para fazer exame de sangue?

Foto: Reprodução

A informação extraída de uma amostra de sangue nem sempre depende do que comemos nas horas anteriores

A pessoa sai da consulta médica com um pedido de exame de sangue e agenda a coleta para o dia seguinte, às 8 da manhã. Ela é avisada que ela deve comparecer em jejum.

 

No dia da coleta, ela aparece com o estômago vazio e muito sonolenta (de não ter bebido nem um café) e encontra uma fila quilométrica de pessoas com seus pedidos em mãos. Depois de meia hora de espera, nem sabe mais como se chama: tudo que quer é sair dali e tomar café da manhã de uma vez por todas.

 

Mas será que tudo isso é realmente necessário? Os exames em jejum eram a norma há algum tempo, quando sempre era medido a glicose, os lipídios e costumada ser feita a contagem de células sanguíneas. E claro, se você comia um pedaço de bolo logo antes da coleta, sua glicose disparava. Porém, nos últimos tempos, as análises se diversificaram e a informação extraída de uma amostra de sangue nem sempre depende do que comemos nas horas anteriores.

 

Veja também

 

Pode fazer exercício físico em tratamento de câncer? Veja recomendação

 

Calor mata? Entenda caso de fã que morreu após passar mal em show

É POSSÍVEL MEDIR GLICOSE E COLESTEROL SEM JEJUM?


Os tipos de exames de sangue aumentaram nos últimos tempos — o que é uma boa notícia, pois significa que os médicos podem extrair mais informações de uma amostra. A diversificação das análises, inclusive, pode nos salvar de outros exames mais invasivos (como biópsias) ou exames mais complicados e caros (como endoscopias ou ressonância magnética). A desvantagem é que isso cria confusão quanto à necessidade de jejuar.

 

— Como as técnicas foram mudando muito e os exames são automatizados, mudou esse conceito de necessidade de jejum para todos os exames. Outro motivo que contribuiu para isso é o conhecimento da fisiologia do corpo porque não há necessidade de fazer jejum para um exame que não será alterado pela alimentação — explica a endocrinologista Rosita Fontes, do laboratório Sérgio Franco, da Dasa.

 

É realmente necessário ficar de jejum para fazer um exame de sangue? | Exame

 

Se analisarmos os diferentes tipos de exames de sangue um por um, descobrimos que, no Brasil, a maioria não requer jejum.

 

— Tem apenas um exame que ainda precisa de um jejum prolongado de 8 horas, por determinação intrnacional, que é a dosagem de glicose, para o diagnóstico de diabetes — afirma o médico Nairo Masskazu Sumita, patologista clínico do Fleury Medicina e Saúde.

 

Por outro lado, surgiram soluções para possibilitar o diagnóstico da doença sem a necessidade de jejum. Trata-se de um exame chamado hemoglobina glicada ou hemoglobina A1c (HbA1c), que ao contrário do exame de glicose, que avalia os níveis de açúcar no sangue naquele momento, o HbA1c analisa a variação dos níveis de glicose nos 90 dias anteriors à coleta.

 

Em 2001, a Organização Mundial de Saúde (OMS) concluiu que a HbA1c poderia ser usada para diagnosticar diabetes tipo II. Mas como isso funciona?

 

Acontece que a glicose que circula no sangue se liga à hemoglobina das hemácias, gerando, justamente, a HbA1c. Como os glóbulos vermelhos têm uma vida média de 2 a 3 meses, níveis elevados desse tipo de hemoglobina indicam que a pessoa apresenta níveis elevados de glicose no sangue há muito tempo. E isso é muito mais significativo do que uma medição específica.

 

Outra dúvida é em relação ao exame de colesterol, também chamado de perfil lipídico. Sumita explica que esse exame era o grande responsável pela necessidade do famoso jejum de 12 horas antes da realização de exames de sangue.

 

— O perfil lipídico é a análise do colesterol total e suas frações, que são o "HDL colesterol", que é o colesterol bom, o "LDL colesterol", que é o colesterol ruim, e o triglicérides. Além de um parâmetro chamado "não HDL colesterol". O triglicérides variava muito com a alimentação e era o parâmetro que exigia o jejum de 12h — diz o médico.


No entanto, em 2016, isso mudou. Diante de novas evidências científicas, várias sociedades médicas brasileiras estabeleceram valores de referência para o triglicérides em exames feitos com jejum e sem jejum de 12 horas.

 

Do pré ao pós-analítico: Como funciona um exame de sangue? - Diagnósticos  do Brasil

 

— A partir daí, passou a se exigir mais a necessidade de jejum prologado para uma série de outros exames — pontua Sumita.

 

Entretanto, isso não é um consenso no mundo todo e existem muitos países, como a Espanha, nos quais ainda se exige jejum de 9 a 12 horas para a realização do painel lipídico. Confira abaixo outros exames de sangue comumente realizados e se há necessidade de jejum ou não:

 

Glicose: necessidade de jejum de 8 horas.


HbA1c: sem necessidade de jejum.


Perfil lipídico: pode ser realizado sem jejum. Mas, em alguns casos, o médico pode solicitar a realização desse exame com jejum de 12 horas.


Ferro: pode ser realizado sem jejum. Mas, em alguns casos, o médico ou o laboratório podem solicitar jejum de 3h a 8h. Preferência por realizá-lo pela manhã.


Vitamina B12: pode ser realizado sem jejum. Mas, em alguns casos, o médico ou o laboratório podem solicitar jejum de 3h a 8h.


Testosterona: pode ser realizado sem jejum. Mas, em alguns casos, o médico ou o laboratório podem solicitar jejum de 3h a 8h. Preferência por realizá-lo pela manhã.


Função renal: sem jejum.


Função da tireoide: sem jejum.


Fígado (GGT): tempo de jejum pode variar de 3h a 8h, a depender do laboratório.


Marcadores tumorais como PSA, CEA, AFP, CA125, CA19.9 etc: sem necessidade de jejum.


Testes genéticos: sem necessidade de jejum.


Hemograma: sem necessidade de jejum.


Por exemplo, no caso dos testes de função renal, hepática e da tireóide, algumas fontes defendem o jejum, enquanto outras fontes igualmente sérias afirmam que não é necessário. Para os exames que podem ser realizados com ou sem jejum, a depender da recomendaçã médica ou do laboratório, os especialistas ressaltam que o paciente deve sempr avisar o médico que solicitou o exame se as análises foram feitas com ou sem jejum, pois isso pode afetar a interpretação dos resultados.


TENDÊNCIA MUNDIAL

 

Por que devemos fazer exame de sangue em jejum?

Fotos: Reprodução


Nos Estados Unidos, o Departamento de Assuntos de Veteranos regulamenta, entre outras coisas, os serviços médicos de todos os veteranos de guerra. Recentemente, o órgão decidiu suspender o jejum para a maioria dos exames de sangue. As razões apresentadas têm a ver com os avanços nas técnicas de diagnóstico e com a possível hipoglicemia que pode ser causada às pessoas com diabetes, além da saturação das unidades de coleta de sangue pela manhã. O jejum só será necessário para alguns tipos de testes.

 

Outros prestadores de cuidados de saúde também estão aderindo à tendência. A rede australiana de laboratórios clínicos “Clinical Labs”, por exemplo, defende a eliminação do jejum em todos os testes lipídicos.

 

Vimos que os interesses dos pacientes e das clínicas prestadoras de serviços médicos estão alinhados a favor da eliminação do jejum para exames. Mas, no final das contas, quem solicita a análise e deve interpretá-la e traduzi-la em uma ação concreta — como um tratamento ou intervenção — é o médico especialista. Portanto, é fundamental conhecer a opinião deles sobre essas novas tendências.

 

ANÁLISE, MELHOR DE MANHÃ?


Outra preocupação, caso não seja regulamentado o horário em que se pode ir para a análise, são as variações ao longo do dia dos parâmetros a serem medidos. De acordo com um estudo minucioso realizado com 24 homens saudáveis, extraindo sangue a cada 3 horas durante um ciclo completo de 24 horas, foram observadas flutuações significativas em vários parâmetros que normalmente são solicitados em um exame de sangue.

 

Assim, observou-se que potássio, sódio, creatina quinase, bilirrubina, lactato desidrogenase, ácido úrico e outros oscilam significativamente ao longo do intervalo de 24 horas. Apenas alguns, como o magnésio ou a creatinina, não variam significativamente. Por isso, enquanto alguns exames, como o perfil lipídico, podem ser realizados a qualquer hora do dia, sem prejuízo para a interpretação dos resultados, outros, precisam ser realizados pela manhã, como a análise dos níveis de testosterona, ferro e cortisol.

 

Curtiu? Siga o PORTAL DO ZACARIAS no FacebookTwitter e no Instagram.

Entre no nosso Grupo de WhatApp e Telegram 


Portanto, o melhor é conversar com seu médico sobre a necessidade de jejum ou não na realização dos exames e, de preferência, realizá-los no período da manhã. Outro ponto importante é buscar fazer os exames de rotina sempre na mesma faixa de horário, dado que alguns parâmetros podem variar ao longo do dia e isso pode atrapalhar a interpretação dos resultados. 

 

Fonte: O Globo

LEIA MAIS
DEIXE SEU COMENTÁRIO

Nome:

Mensagem:

publicidade

publicidade

publicidade

publicidade

publicidade

Acompanhe o Portal do Zacarias nas redes sociais

Copyright © 2013 - 2024. Portal do Zacarias - Todos os direitos reservados.