NOTÍCIAS
Interior em Destaque
03/06/2021

Oficina de percussão destaca a influência de vários gêneros musicais no ritmo do boi-bumbá

Compartilhar:
Foto: Reprodução / Sávio Pimentel / Tambores da Terra

A iniciativa faz parte do projeto Tambores da Terra, incentivado pela Lei Aldir Blanc

O tambor é um dos instrumentos musicais mais antigos na história da humanidade. Seu ritmo forte se perpetuou em diversas gerações e faz parte das mais diversas manifestações culturais espalhadas pelo mundo.

 

Pensando nisso, um grupo de músicos no município de Parintins, distante a 369 quilômetros de Manaus, resolveu se juntar e criaram o projeto Tambores da Terra, incentivado pela Lei Aldir Blanc, por meio da Prefeitura de Parintins, com apoio do Governo Federal e a Secretaria Especial de Cultura.

 

As atividades consistem na realização de uma oficina sobre percussão e destacar a influência dos mais diversos gêneros musicais na toada, fio condutor musical nas apresentações dos bois Caprichoso e Garantido, protagonistas do tradicional Festival Folclórico de Parintins.

 

Veja também

 

Produtora de Manacapuru assina contrato para fornecimento de móveis escolares por meio do Promove

 

Presidente Roberto Cidade recorre ao Governo Federal para ajudar municípios atingidos pela cheia

 

A equipe do projeto é formada por Glaedson Azevedo (diretor-geral), Irian Butel (diretora artística), mestre Edson Azevedo (músico oficineiro) e o maestro Jhonatas Moreno (músico oficineiro).

 

Especializado em Percussão Afro e Afro-Religiosa, o músico Jhonatas Moreno destacou que o grupo vem realizando aulas teóricas e práticas para saberem mais sobre o ritmo do tambor.

 

“Não nos prendemos em apenas executar os ritmos. Nós, como grupo, estamos pesquisando a origem dos ritmos. Durante as aulas teóricas, temos a leitura rítmica, a leitura histórica, fundamentações do ritmo e a origem do ritmo. Quando falamos do congo, vamos falar como veio o ritmo congo. Etnograficamente falando, o ritmo congo veio da cidade de Nigéria”, explica.

 

Jhonatas Moreno cita como exemplo o surdo, um dos instrumentos musicais bastante utilizados pelos ritmistas de Caprichoso e Garantido. Ele cita que o toque do respectivo instrumento tem variações do congo. “O toque que sai do Leste do continente africano, hoje é executado no boi-bumbá”, disse.

 

 

Arte – O projeto Tambores da Terra também é contemplado com desenhos por meio da arte digital, sob a responsabilidade dos artistas Júnior Fuziel e Glaedson Azevedo.

 

Cada arte terá cinco solos de percussão, que ficará por conta dos oficineiros Jhonatas Moreno e Edson Azevedo, e o grupo de percussão formado pelos músicos Alesson Muniz, Márcio Cardoso, Nil Lima, Raimundo (Rei) Azevedo, Wanderley Souza e Franciney Silva.

 

Segundo Glaedson, o projeto vai finalizar com uma intervenção mostrando um resultado desse estudo realizado sobre o ritmo do tambor.

 

“O momento será uma intervenção músico-visual, onde vamos mostrar as pinturas digitais, onde estão interligadas com os solos de percussão. Tudo isso estará embasado conforme os ensinamentos adquiridos”, reitera.

 

 

Divulgação - É a primeira vez que Parintins terá uma intervenção exclusivamente dedicada aos instrumentos de percussão. Com isso, o projeto Tambores da Terra vai disponibilizar nas redes sociais o resultado dos estudos e os vídeos da performance músico-visual.

 

Curtiu? Siga o PORTAL DO ZACARIAS no FacebookTwitter e no Instagram.
Entre no nosso Grupo de WhatApp.

 

Neste sábado (05), em Parintins, na chácara do artista plástico Juarez Lima, o Tambores da Terra vai realizar a intervenção musical e a divulgação da performance está prevista para acontecer no dia 12 de junho.

 

Facebook: https://www.facebook.com/tamboresdaterrapin 

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Nome:

Mensagem:

LEIA MAIS

publicidade

publicidade

publicidade

publicidade

publicidade

Copyright © 2013 - 2021. Portal do Zacarias - Todos os direitos reservados.