NOTÍCIAS
Internacional
29/03/2020

Papa Francisco critica governos que colocam economia na frente da saúde

Compartilhar:
Foto: Reprodução

"Seria muito triste se isso acontecesse", disse o Pontífice em carta enviada para juiz de Buenos Aires

Em uma carta, o Papa Francisco criticou governos que colocam a economia na frente da saúde pública. O documento foi enviado ao juiz André Gallardo, de Buenos Aires (Argentina), e fala sobre “genocídio viral”.

 

“É verdade que essas medidas (para conter o vírus) incomodam aqueles que são forçados a cumprí-las, mas são sempre para o bem-comum, e a longo prazo”, ressalta o ex-arcebispo de Buenos Aires , elogiando autoridades que mostram que pessoas são a prioridade de suas decisões..”A maioria das pessoas aceita, e se movem com atitude positiva”.

 

O Papa Francisco continua: “Sabemos que defender as pessoas causa um desastre econômico. Seria triste se o contrário fosse escolhido, o que levaria à morte de muitos. Algo como um genocídio por vírus”.

 

Veja também

 

Doente, Papa Francisco cancela compromissos públicos pelo 3º dia consecutivo

 

Papa diz para católicos: durante a Quaresma, parem com a 'trolagem'

Uma reunião foi marcada com o Dicastério do Desenvolvimento Humano Integral (um dos ministérios do Vaticano) para refletir sobre “o agora e o depois” da pandemia causada pelo novo coronavírus (SARS-CoV-2). “Preparar-se para as consequências é importante”, assegurou o Papa. “A fome virá, especialmente para as pessoas sem trabalho permanente, que são desumanizadas”.

 

Curtiu? Siga o PORTAL DO ZACARIAS no FacebookTwitter e no Instagram.

Entre no nosso Grupo de WhatsApp.

 

Francisco finaliza a carta demonstrando preocupação, apesar de se sentir encorajado pelo trabalho das autoridades da saúde. “Estamos preocupados com o crescimento da doença, em progressão geométrica”.

 

iG

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Nome:

Mensagem:

LEIA MAIS

publicidade

publicidade

publicidade

publicidade

publicidade

Copyright © 2013 - 2020. Portal do Zacarias - Todos os direitos reservados.