13 de Julho de 2024 - Ano 10
NOTÍCIAS
Política
10/07/2024

Pesquisa Genial/Quaest: críticas de Lula à política do Banco Central são aprovadas por 66% dos brasileiros

Foto: Reprodução

Ainda de acordo com o levantamento, 90% dos entrevistados concordam com as falas do presidente de que salário mínimo deve ser ajustado acima da inflação

As críticas feitas nas últimas semanas pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) ao Banco Central foram bem vistas pela maior parte da população, de acordo a nova pesquisa Genial/Quaest divulgada nesta quarta-feira. Dois terços dos entrevistados (66%) responderam concordar com as afirmações de Lula contrárias a política de juros para a instituição, enquanto 23% discordam e 11% não sabem ou não responderam. A aprovação das falas de Lula foi alta tanto entre seus apoiadores quanto em relação a eleitores de Jair Bolsonaro.

 

Entre os entrevistados que votaram em Lula, 77% concordaram com as críticas feitas a alta de juros e 66% dispensaram a possibilidade de que as falas do presidente tenham sido a principal razão pela alta do dólar. Somente cerca de 16% de apoiadores do presidente nas últimas eleições discordaram de suas afirmações relacionadas ao Banco Central, e 8% não souberam responder.

 

O posicionamento do petista diante da decisão do Copom de manter a taxa básica de juros a 10,50% também foi bem vista entre apoiadores de Jair Bolsonaro. A maioria daqueles que votaram no ex-presidente também concordam com apontamentos de Lula contrários a atuação do Banco Central, 36% discordam e 13% não souberam responder.

 

Veja também

 

'Nunca foi sobre Deus, pátria ou família', diz Gleisi sobre Bolsonaro

 

Compartilhamento de conteúdo educacional é tema de encontro do G20

Os entrevistados também corroboram as falas recentes do presidente de que salários deveriam subir acima da inflação (90%), que juros no Brasil são muito altos (87%) e carnes consumidas pelos mais pobres deveriam ser isentas de impostos.

 

CRISE ENTRE LULA E O BANCO CENTRAL


Depois de um esforço de convencimento por parte de seus auxiliares, a estratégia do Palácio do Planalto foi mudar o alvo dos ataques. Lula passou a dar mais entrevistas nas últimas semanas, e centralizou as críticas no presidente do BC, Roberto Campos Neto, sob o argumento dele ter sido indicado por Bolsonaro na gestão anterior.

 

Lula subiu o tom contra Campos Neto após ele se reunir com o governador de São Paulo, Tarcísio de Freitas (Republicanos), aliado de Jair Bolsonaro e um dos nomes da direita para concorrer à Presidência em 2026. Na ocasião, segundo o jornal Folha de S.Paulo, o presidente do BC disse que aceitaria ser ministro da Fazenda em um eventual governo de Freitas.

 

Após esse acontecimento, o petista concedeu sete entrevistas em duas semanas a mídias de diferentes estados. As conversas foram marcadas por críticas ao presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, e a taxa básica de juros em 10,5% ao ano. Com a alta do dólar, o presidente recuou novamente e passou a reafirmar o compromisso do governo com a responsabilidade fiscal.

 

Curtiu? Siga o PORTAL DO ZACARIAS no FacebookTwitter e no Instagram.

Entre no nosso Grupo de WhatAppCanal e Telegram   

 

A pesquisa Genial/Quaest ouviu 2.000 pessoas de 16 anos ou mais no período de 5 a 8 de julho. Foram realizadas entrevistas presenciais em 120 municípios. A margem de erro é estimada em 2 pontos percentuais para mais ou menos, para um nível de confiança de 95%.

 

Fonte: O Globo

LEIA MAIS
DEIXE SEU COMENTÁRIO

Nome:

Mensagem:

publicidade

publicidade

publicidade

publicidade

publicidade

Acompanhe o Portal do Zacarias nas redes sociais

Copyright © 2013 - 2024. Portal do Zacarias - Todos os direitos reservados.