NOTÍCIAS
Bizarro
13/01/2020

Saiba agora quais são as 12 piores formas de morrer: sede, queimado, injeção letal...

Compartilhar:
Foto: Reprodução

Saiba agora quais são as 12 piores formas de morrer

Embora a morte seja um assunto não muito apreciado pela maioria das pessoas, essa é a nossa maior certeza, ou seja, um dia todos nós iremos morrer. O que acaba piorando essa angústia é justamente o que sentimos ao pensar as piores formas de morrer.

 

É óbvio que ninguém vai querer morrer de alguma dessas maneiras, e Deus assim nos livre! No entanto, algumas pessoas acabam passando por esses maus momentos, mesmo que não seja por opção. É a lei da vida.

 

Um dia você está vivo, daqui a pouco não está mais. E ninguém pode prever como será. Então vamos torcer para que nenhum de nós acabe sua história dessas formas.

 

Veja também

 

Médicos sugeriram ‘diminuir pênis’ do ator que viveu Robin em série clássica


Atriz americana vende velas aromáticas com 'cheiro de sua vagina'

 

Conheça agora as 12 piores formas de morrer

 


1 – Atropelamento

 

 

Atropelamento é um tipo de acidente que envolve um veículo e um pedestre, ou então alguém portando um veículo menor, como por exemplo, uma bicicleta.

 

Muitos atropelamentos não resultam em morte, mas ainda assim é uma das piores formas de morrer.

 

2 – Afogamento

 

 

De acordo com estudos feitos com salva-vidas de Nova York, há, geralmente, uma última luta quando as pessoas percebem que não podem manter suas cabeças para fora d’água. Mas felizmente ela dura apenas de 20 a 60 segundos.

 

Depois disso, a respiração fica “presa” entre 30 e 90 segundos, e em seguida, ocorre uma curta sensação de queimação dentro d’água.

 

Posteriormente, a pessoa sente-se calma e começa a perder a consciência.

 

3 – Sede

 

 

Em média, cerca de 60% do nosso corpo é água. E essa água toda não fica dentro de nós por longos períodos: entre cocô, xixi e suor, nós perdemos, por dia, algo entre 2 e 2,5 litros do líquido, o equivalente a mais de 2% de nossa massa. Quando mais de 5% de nosso peso em água vai embora, começamos a sofrer de desidratação.

 

Em um país como o Brasil, em pleno verão, com altas taxas de temperatura e umidade relativa do ar, não dá para resistir mais do que quatro dias. No entanto, no frio esse tempo pode chegar a sete dias. Isso vai depender, obviamente, das condições físicas de cada um.

 

4 – Congelado

 

 

Nosso corpo deve manter-se em uma temperatura média de 36,5 ºC, certo? Quando está muito frio, você treme, e isso é uma resposta de seus músculos, que querem arranjar uma maneira de produzir calor.

 

Quando o frio é tanto a ponto de você literalmente congelar, seu corpo vai ficar duro como pedra, o que significa que suas habilidades motoras e de coordenação já não existem mais. A essa altura, seu cérebro também sofre as consequências e você fica confuso, sem conseguir pensar direito. Depois de algum tempo, você vai perder a consciência, até a inevitável morte.

 

5 – Queda de um edifício

 

 

Você não tem tempo para sentir medo. Centésimos de segundos depois de perder o apoio, o reflexo do susto entra em ação, e seus braços se esticam para agarrar alguma coisa. Mas não há nada para se agarrar. Você está em queda livre, sem corda e sem ninguém para te segurar.

 

Acho que já deu para sentir um pouco da agonia que deve ser a pessoa despencar de uma altura considerável direto para a morte.

 

6 – Ataque de Tubarão

 

 

George Burgess, que estuda ataques de tubarões no Museu de História Natural da Flórida, afirma que incidentes na praia são normalmente causados por tubarões-tigre ou tubarões-touro. Essas duas espécies são frequentemente encontradas ao longo da costa e são conhecidas por atacarem pessoas ocasionalmente.

 

Os grandes tubarões-brancos, imortalizados no filme Tubarão, também são eventualmente responsáveis pelos ataques. Outros tubarões envolvidos em incidentes ao redor do mundo nos últimos anos incluem, ocasionalmente, tubarões-mako, tubarões-enfermeiro, tubarões-limão e tubarões-galha-preta.

 

Burgess descreve claramente em seu site que “os humanos não fazem parte do cardápio dos tubarões. Os tubarões atacam pessoas por curiosidade ou para se defenderem”.

 

Como resultado, a maioria dos incidentes ao longo do tempo costumou ser o que chamamos de ataques “provocados”, ocorridos durante caças submarinas ou quando pessoas tentam pegar ou soltar um tubarão de uma linha ou rede de pesca.

 

Nos ataques não provocados, os animais normalmente confundem pessoas com suas presas normais, frequentemente devido à baixa visibilidade. Surfistas são os que mais se envolvem em ataques desse tipo, provavelmente porque passam longos períodos de tempo na água e se movimentam como presas, espirrando água.

 

7 – Queimado

 

 

É realmente dolorido quando as chamas queimam os cabelos e atingem a pele, mas a maioria das pessoas, até 75%, morre intoxicada com a fumaça. Nesse caso, você não deve estar acordado quando seu corpo queima.

 

A dor aguda imediatamente é sentida quando as chamas chegam perto da pele, estimulando os nervos e começando a cozinhar a carne. E isso vai realmente aumentando a sensibilidade da pele à dor.

 

Depois de um curto período de tempo, a camada superior da pele contendo os nervos mais sensíveis queimam. E uma dor mais profunda irá iniciar. Você provavelmente vai ficar consciente tempo suficiente para cheirar a sua própria carne cozida.

 

Eventualmente, vítimas de queimaduras morrem com perda de sangue fluidos, causando a parada cardíaca.

 

8 – Acidente Aéreo

 

 

Raramente acontece, mas quando acontece, geralmente muita gente morre ao mesmo tempo. Durante a queda de um avião, todo mundo dentro dele sabe o que vai acontecer e entra em pânico ao mesmo tempo. Não há como não se desesperar nesse momento. Você praticamente ver a morte de perto.

 

A queda de um avião, nesses casos, duraria poucos minutos e no primeiro deles você estaria desmaiado devido à falta de oxigênio. Entretanto, quando acordasse, teria que enfrentar de 2 a 3 minutos de pânico geral a 193 km/h. Nesse caso é melhor ficar desmaiado mesmo.

 

9 – Fome

 

 

Seu corpo pode aguentar até 60 dias sem comer nada, mas precisaria ingerir pelo menos água nesse período.

 

Após alguns dias, você já ficaria sem as reservas de gordura e seu fígado começaria a produzir toxinas que fariam muito mal ao seu organismo. Em apenas um mês, você perderia 18% do seu peso de uma maneira nada saudável e bem perigosa.

 

Depois disso, seu corpo iria consumir a energia dos próprios músculos e órgãos, até morrer.

 

10 – Cadeira Elétrica

 

 

Enquanto a corrente elétrica passa através do corpo, o coração pára, o sangue ferve e sistema nervoso congestiona, provocando asfixia. O corpo vai inchar e ferver o sangue que irá sair por cada orifício. Às vezes os olhos saltam seguidos de chamas em seus buracos por debaixo da pele.

 

A temperatura do corpo é tão quente que a pele assa e pode cair da carne. Se você tiver sorte, em seguida, a tensão elétrica poderá ser alta o suficiente para matá-lo, e não deixá-lo agonizando até morrer. Meu Deus, que horror!!!

 

11 – Injeção letal

 

 

O método mais comum de pena de morte, a injeção letal, pode ser muito mais cruel e dolorosa do que parece.

 

Há três elementos para uma injeção letal, tiopental de sódio (para deixá-lo inconsciente), brometo de pancurônio (paralisar você) e cloreto de potássio (matá-lo).

 

Acontece que, mesmo que isso se pareça com um procedimento médico, a coisa toda não é regulamentada. Não há estudos, não há provas e não existe “dose padrão” real que garanta que o processo funcione corretamente.

 

Portanto, acredita-se que muitos condenados receberam a dose de tiopental de sódio muita baixa. Isso significa que os condenados são paralisados, mas ainda estarão semiconscientes, enquanto os outros dois ingredientes lentamente os sufocam e param seu coração. Esse processo é extremamente doloroso.

 

12 – Envenenamento

 

Fotos: Reprodução

 

Há um catálogo de substâncias químicas letais, algumas das quais são relativamente fáceis de ser obtidas. A ricina, por exemplo, é produzida naturalmente em sementes de mamona. O tálio (veneno de rato) é famoso por suas propriedades assassinas.

 

O arsênico produz uma morte lenta e dolorosa, enquanto a estricnina causa espasmos extremos no corpo à medida que o sistema respiratório da vítima entra em colapso.

 

Curtiu? Siga o PORTAL DO ZACARIAS no FacebookTwitter e no Instagram.

Entre no nosso Grupo de WhatApp.

 

Mas o cianeto é o que mata mais rápido e é o mais fácil de ser detectado, e sua patologia aparece em todo o corpo. 

 

Estranho Mundo

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Nome:

Mensagem:

LEIA MAIS

publicidade

publicidade

publicidade

publicidade

publicidade

Copyright © 2013 - 2020. Portal do Zacarias - Todos os direitos reservados.