NOTÍCIAS
Política
09/07/2021

Silêncio de Bolsonaro sobre irmãos Miranda causa saia-justa para tropa de choque na CPI

Compartilhar:
Foto: Reprodução

O silêncio prolongado do presidente Jair Bolsonaro sobre a conversa com os irmãos Miranda no Palácio da Alvorada já causa saia-justa para a chamada tropa de choque do governo na CPI da Covid.

 

Em depoimento à CPI, em junho, o deputado Luis Miranda (DEM-DF) e o irmão dele, Luis Ricardo Miranda, servidor do Ministério da Saúde, disseram ter relatado a Bolsonaro as suspeitas de irregularidades envolvendo o contrato para aquisição da vacina Covaxin.

 

Senadores governistas não escondem o desconforto com as várias versões sobre o episódio, além da ausência de uma fala contundente do próprio Bolsonaro para pautar a defesa política dele na CPI.

 

Veja também 

 

Rejeição a Bolsonaro sobe a 52%, mostra pesquisa XP/Ipespe

 

CPI da Covid: Omar Aziz manda prender Roberto Dias e encerra sessão da CPI. VEJA VÍDEOS

Antes do depoimento dos irmãos Miranda, Bolsonaro disse que se reuniu com eles, mas que não foi avisado sobre as suspeitas. O ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello, porém, diz que foi acionado por Bolsonaro e que a pasta não encontrou irregularidades.

 

Carta da CPI


O mal-estar entre os senadores governistas aumentou nesta quinta-feira.

 

Isso porque a cúpula da CPI enviou uma carta a Bolsonaro (vídeo acima) pedindo a ele que se manifeste sobre o depoimento de Luis Miranda. A correspondência é assinada por Omar Aziz (PSD-MA), presidente da CPI; Randolfe Rodrigues (Rede-AP), vice; e Renan Calheiros (MDB-AL), relator.

 

Segundo Luis Miranda, ao ouvir as suspeitas sobre a Covaxin, Bolsonaro disse que era "coisa" do deputado Ricardo Barros (PP-PR), líder do governo na Câmara.

 

Em transmissão ao vivo em rede social, nesta quinta (8), o presidente afirmou que não vai responder à carta da CPI.

 

"Fica difícil falar sobre esse tema quando não há um norte seguro por parte do Planalto", desabafou ao blog um senador governista.

 

Curtiu? Siga o PORTAL DO ZACARIAS no FacebookTwitter e no Instagram. 

Entre no nosso Grupo de WhatsApp.

 

Nesta quinta, Barros discursou na tribuna da Câmara e se defendeu das acusações contra ele. O deputado quer que a CPI antecipe para antes do recesso o depoimento dele à comissão, marcado para o próximo dia 20. 

 

Fonte: G1

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Nome:

Mensagem:

LEIA MAIS

publicidade

publicidade

publicidade

publicidade

publicidade

Copyright © 2013 - 2021. Portal do Zacarias - Todos os direitos reservados.