NOTÍCIAS
Política
20/10/2020

Witzel usa trechos iguais ao da Wikipédia em defesa entregue a tribunal que julga impeachment. ENTENDA

Compartilhar:
Foto: Reprodução

Biografia do governador afastado citada no documento é a mesma da enciclopédia virtual; Witzel alega ter escrito o verbete.

 O documento de defesa do governador afastado do Rio, Wilson Witzel (PSC), entregue ao tribunal misto tem trechos inteiros copiados do perfil do político na enciclopédia virtual Wikipédia. A Corte será responsável pelo julgamento do pedido de impeachment.

 

Nas 49 páginas, a parte dedicada a sua biografia é exatamente igual ao do site. Os textos dizem, por exemplo:

 

"Após concluir o ensino fundamental e médio, formou-se em um curso técnico de topografia. Aos 18 anos, entrou na Escola de Formação de Oficiais da Marinha e, aos 20 anos, foi fuzileiro naval. Permaneceu na Marinha até o ano de 1992, quando chegou ao posto de segundo-tenente".

 

Veja também

 

Alexandre de Moraes é o novo relator do processo de Bolsonaro no STF

 

Segundo PGR, militar da ativa pode ocupar cargo de ministro no governo Bolsonaro


A defesa de Witzel disse que o próprio governador afastado é quem forneceu os textos sobre o seu perfil, que ele mesmo havia criado na Wikipedia. Por isso, segundo ele, alguns trechos do documento são iguais.

 

Em outro trecho, há menções ao curso de Direito e ao Mestrado. Passando o mouse por cima do que escreveram os advogados, é possível perceber que até mesmo os links para as palavras-chave são os mesmos -- ou seja, que provavelmente foram copiados e colados.

 

Na defesa, Witzel diz que Mário Peixoto não era dono da Organização Social Unir Saúde, diferentemente do que apontam as investigações do Ministério Público Federal (MPF).

 

Segundo os advogados, o verdadeiro responsável pela OS é o ex-prefeito de Nova Iguaçu, Nelson Bornier.

 

Em uma gravação telefônica autorizada pela Justiça, Luiz Roberto Martins, apontado como operador financeiro do empresário Mário Peixoto, se refere à requalificação da OS afirmando "diz o Mário que foi ele que acertou junto com o governador".

 

Mário, segundo a defesa de Witzel, é Mario Marques, subsecretário de comunicação do governo do estado. O pai de Mário, que também se chamava Mario Marques, foi vice-prefeito de Bornier em Nova Iguaçu.

 

A nova versão apresentada pela defesa de Witzel será analisada pelo relator do processo de impeachment, o deputado Waldeck Carneiro (PT).

 

O parlamentar tem até o dia 29 para prepara um parecer se o tribunal misto deve prosseguir ou não com o julgamento do impeachment.

 

O que dizem os citados


Mário Marques afirma que não tem qualquer ligação com Nelson Bornier e que seu trabalho é estritamente técnico.

 

Curtiu? Siga o PORTAL DO ZACARIAS no FacebookTwitter e no Instagram.

Entre no nosso Grupo de WhatsApp.

 

Nelson Bornier declarou que não tem nenhuma relação com a Unir Saúde e que sequer sabe onde fica a sede.

 

G1

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Nome:

Mensagem:

LEIA MAIS

publicidade

publicidade

publicidade

publicidade

publicidade

Copyright © 2013 - 2020. Portal do Zacarias - Todos os direitos reservados.